Entenda como a padronização de suas lojas pode elevar o sucesso da sua marca!

Atualizado: 2 de Set de 2019

A padronização de suas lojas é uma estratégia para elevar o sucesso da sua marca. Veja agora como ela deve ser feita!


Você sabe quais são as razões que fazem a padronização de suas lojas algo crucial para elevar o sucesso da sua marca?


Hoje eu vou explicar como esta padronização deve ser feita e ainda usarei um exemplo real de um case de falha e outro de sucesso sobre a padronização – ironicamente, da mesma marca.


Assim você poderá compreender como a padronização de suas lojas é fundamental para garantir que o cliente crie identificação com a sua marca, permitindo a você encontrar um caminho seguro para aumentar as vendas e reforçar a sua presença no mercado.


Meu padrão escolhido para os artigos da Artusi Arquitetura


Prefiro que o número de views seja menor, mas que a informação esteja correta.

Como sempre, e essa é uma característica que eu não abro mão, nosso artigo não será tão curto.


Sei que assuntos importantes devem ser tratados por diversos ângulos, meu compromisso é com a informação.


Então vamos lá, separe 10 minutos do seu dia e vamos conversar sobre padronização de suas lojas.


Quando a padronização deu errado e derrubou a franquia


Em 1990, a rede de lanchonetes Subway tinha mais de 15 anos de história dentro do mercado americano.


Desde 1975 a franquia (que nos anos 70 se chamava Pete’s Subway) vinha crescendo e ganhando força para competir com as maiores do ramo.


Foi em 1990 que a rede resolveu expandir a sua atuação e tentar ganhar presença no mercado brasileiro.


Vale lembrar que os anos 90 formaram uma época bem “americanizada” no nosso cenário. – Quem não lembra das jaquetas Hollywood Rock? Até mesmo das tesourinhas do Mickey.


Este cenário parecia excelente para que as marcas americanas encontrassem pouca resistência dentro do mercado brasileiro.


Bastava vir, instalar-se e, seguramente, os clientes iriam aparecer.


Como a padronização de lojas não funcionou para o Subway nos anos 90


Com lojas em quase todos os estados americanos, uma marca em franco crescimento e um mercado pronto para consumir o american life style, a Subway estava pronta para chegar ao Brasil e competir com as gigantes do fast-food.


Infelizmente, a máster franquia cometeu um erro – que depois mostrou-se grave.


O sistema de master franquia Subway dos anos 90. Uma falha na padronização das lojas


Como sabemos, um master franqueado não opera como uma franquia normal. Ele pode, inclusive, abrir ramificações de outras franquias.


Ele também toma decisões que podem modificar o design e o planejamento da marca.


Uma master franquia, em resumo, é um franqueado que fez um investimento maior na marca e têm liberdades e decisões extras.


A procura por uma master franquia costuma ser feita quando uma marca quer expandir para outros países e deseja contar com a parceria de alguém que conheça o mercado interno do país alvo. – No nosso exemplo, o Brasil.


O que a master franquia fez de errado?


Nos Estados Unidos a Subway já operava, mais ou menos, como ela opera hoje no Brasil. Com pequenas lanchonetes e um serviço que se assemelha ao self-service.


Fonte: http://mundodasmarcas.blogspot.com


Acontece que nos anos 90 a master franquia responsável pela vinda da marca ao Brasil tentou uma estratégia diferente.


A ideia foi montar em São Paulo a maior loja da Subway do mundo – isso mesmo, a maior lanchonete Subway do mundo.


Quais as razões?


Confesso que essa resposta eu não tenho, mas foi o que eles tentaram e foi o que atrasou a presença da Subway no nosso mercado em mais de 10 anos.


Quais as razões para não ter dado certo?


Quando a master franquia da Subway decidiu abrir a maior loja Subway do mundo ela já estava contradizendo diversas padronizações de marca.


Tornando difícil para o consumidor criar uma identificação com a nova loja.


Além de tudo, em um momento em que as apostas eram em pequenas lanchonetes (como o McDonald’s) apostar em uma grande loja central parecia um tanto arriscado.


Apesar de São Paulo oferecer um mercado aquecido e alta porcentagem em consumidores de fast-food, vale lembrar que nos anos 90 o transporte por taxi não estava tão simplificado, sem mencionar o transporte público (menores linhas de metrô e ônibus).


Em resumo


Ter apenas uma loja gigantesca em qualquer ponto da cidade pode chamar atenção nos primeiros meses, mas depois o acesso fica difícil, tornando muito mais simples para o cliente buscar uma loja menor em um shopping.


Ao virar as costas para o seu modo de operar a Subway perdeu os anos 90 – época em que diversas marcas americanas criaram raízes na cultura brasileira. Ela só voltaria a nosso cenário nos anos 2000.


Um atraso de 10 anos causado pela simples negligência ao lidar com a padronização das lojas.


Quando a marca se tornou um sucesso?


Eu prometi um exemplo de falha e logo após um exemplo de sucesso, portanto, vamos lá.


A Subway tornou-se um sucesso no mercado brasileiro quando decidiu fazer o simples e levar adiante o seu modelo de negócios vencedor – claro que com evoluções e adaptações, mas sem quebras de padronização.


Fonte: http://mundodasmarcas.blogspot.com


Lojas pequenas, normalmente localizadas em shoppings, serviço diferenciado da concorrência, alto investimento em branding somados com a arquitetura reconhecível e replicável.


Pronto, uma marca que consegue encontrar espaço dentro do mercado brasileiro.


As lições que nós podemos aprender com a Subway


Qual é razão para contar a história da Subway nos anos 90?


Aprendermos com ela, claro.


Então agora eu explicarei como a padronização de suas lojas deve ser feita e por que ela pode elevar o sucesso da sua marca.


Não fuja das suas raízes, franquias são etapas, não revoluções


A primeira lição está justamente em garantir que o seu crescimento seja contínuo e gradual.


Veja bem, nunca a estagnação, vou repetir: crescimento contínuo e gradual.


Criar uma franquia muito diferente do seu padrão poderá ser um passo arriscado se a sua marca não estiver devidamente enraizada no cenário nacional.


Alguém poderá argumentar: “mas e as grandes e modernas lojas do McDonald’s, e a grande loja da Cacau Show?”


Eu vou dizer: sim, vocês têm toda razão.


São exemplos de franquias de sucesso com lojas incríveis espalhadas pelo Brasil, mas note, elas também são marcas muito bem estabelecidas no cenário.


Use a boa táctica do cliente oculto


Alguns franqueados consideram essa táctica até antiquada ou dizem que ela não é mais necessária, honestamente, eu discordo.


Acho ela perfeita para garantir a padronização de suas lojas – sobretudo no atendimento.


O cliente oculto é uma pessoa de confiança que irá visitar as franquias para testar como funciona o atendimento, tomando notas e analisando as possíveis falhas ou diferenças.


Esse cliente não tem o objetivo de “pegar alguém no pulo”. Sabe o que quero dizer?


Encontrar uma falha em uma franquia apenas pela oportunidade de apontar o dedo.


É justamente o oposto.


A ideia do cliente oculto é garantir que os serviços de uma rede de franquias estejam unidos, criando homogeneidade na marca.


O treinamento para a padronização de suas lojas


Não existe padronização sem treinamento, simples assim.


Imagine que você terá que lidar com pessoas de diferentes regiões e costumes, então, treina-las para que elas saibam atuar em nome da sua marca é fundamental.


Como nós observamos no exemplo da Subway, manter as características da sua marca é importante para garantir que vocês tenham controle do que estão fazendo.


Sendo assim, criar treinamentos será de extrema importância para que todos os envolvidos com a marca – desde a gerência, até os funcionários – tenham consciência da postura ideal.


Claro, crie um Manual de Arquitetura.


Assim como não existe padronização sem treinamento, não existe expansão sem projeto, e não existe projeto sem manual.


É simples assim.


Para conseguir que a sua marca cresça você precisará que as lojas estejam padronizadas.


Para padronizar uma loja é preciso um estudo de arquitetura e a criação de um manual.


Começar uma expansão sem o projeto executivo é extremamente arriscado, pode ocasionar desperdício e o resultado – em alguns casos – poderá ser o atraso de dez anos no seu crescimento.


Se aconteceu com uma gigante americana, pode acontecer com qualquer um.


O Manual de Arquitetura é a melhor ferramenta para garantir a padronização de suas lojas


Em um Manual de Arquitetura estarão todas as informações relevantes para a criação de novas filiais.


Ele é feito com base nos estudos da sua marca, considerando todos os aspectos que fazem da sua marca única.


Além de tudo, um Manual de Arquitetura também contempla os materiais corretos e os fornecedores indicados para aquisição dos itens.


Ele é, literalmente, um documento garantidor de que todas as lojas da sua franquia terão as mesmas características e a mesma qualidade.


Espero que esse bate-papo possa ter demonstrado para você como é importante a padronização de suas lojas e por que ela pode elevar o sucesso de sua marca.


Ficou com dúvidas ou gostaria de saber mais sobre o assunto? Entre em contato comigo. Estou disponível para conversarmos.


Deixo o convite para que você acompanhe as minhas publicações. Até a próxima, obrigada!

e-book-passo-a-passo.jpg
infografico-implantaçao-franquia.jpg