O que é PMBOK e qual a sua relevância para sua franquia?

Atualizado: 22 de Out de 2019


Ao falarmos sobre o Project Management Body of Knowledge (Corpo de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos), mais conhecido como PMBOK falamos sobre a compilação de resultado com a Project Management Institute (Instituto de Gerenciamento de Projetos) conhecido como PMI.


Se você estiver procurando por um gerenciamento que proporcione sucesso e rapidez, talvez você esteja buscando exatamente pelo PMBOK!


Entre 1950 e 1960, as práticas da administração de projetos, no nível operacional, foram compiladas e organizadas, transformaram-se em uma disciplina, ou melhor, um corpo melhor organizado de conhecimentos.

Mas o que é o PMBOK, afinal de contas?


É um guia que faz parte de uma conciliação de melhores práticas, mundialmente reconhecidas, para até então, administração de projetos.



O PMBOK é um conjunto de práticas na gestão de projetos organizado pelo instituto PMI e é considerado a base do conhecimento sobre gestão de projetos por profissionais da área.

O Guia PMBOK identifica um subconjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos, que é amplamente reconhecido como boa prática, sendo em razão disso, utilizado como base pelo Project Management Institute (PMI).




O Guia PMBOK provê diretrizes para gerência dos projetos individualmente e define conceitos associados à gerência de projetos.


Isto também descreve o ciclo de vida do gerenciamento do projeto e seus processos relacionados, assim como o ciclo de vida do projeto.

O Guia PMBOK reconhece 47 processos que recaem em 5 grupos de processos e 10 áreas de conhecimento que são típicas em quase todas áreas de projetos.


Descrição dos grupos de processos de gerenciamento de projetos: Iniciação; Planejamento; Execução; Monitoramento e controle; Encerramento.

Para saber o que é o PMBOK, deve-se saber que se trata de um projeto como algo que tem fim, isto é, é temporário.


Mas afinal, por quê?

Significa que todo o projeto tem início e fim bem delimitados com a intenção de se atingir um objetivo exclusivo, o que torna esse projeto único.


Porém, projetos são conduzidos por pessoas, que possuem limitações de recursos.

Visando tais limitações, o planejamento será executado e controlado durante toda a sua duração.


A partir disso é possível concluir que projetos são diferentes de processos e operações, haja vista que os dois últimos são contínuos e repetitivos, ao passo que o projeto é único.

Mas essas boas práticas não reservam o direito de que o conhecimento e as práticas devem ser aplicadas uniformemente a todos os projetos, sem considerar se são ou não apropriados para a desenvoltura do todo.

O Guia PMBOK também fornece e promove um vocabulário comum para se discutir, escrever e aplicar o gerenciamento de projetos possibilitando o intercâmbio eficiente de informações entre os profissionais de gerência de projetos.

O guia é baseado em processos e subprocessos para descrever de forma organizada o trabalho a ser realizado durante o projeto.

Os processos descritos se relacionam e interagem durante a condução do trabalho.


A descrição de cada um deles é feita em termos de: Entradas (documentos, produtos etc.); Ferramentas e técnicas (que se aplicam às entradas); Saídas (documentos, produtos etc.)

Todo e qualquer projeto é desenvolvido em todos os setores e níveis das empresas, podendo ser um único departamento da empresa ou fora de suas fronteiras.


Na maioria das vezes, os projetos são componentes importantes da estratégia de negócio da companhia, servindo como um empreendimento de colaboração planejado para alcançar determinado objetivo.

O Guia PMBOK e sua relevância:


É muito importante, já que explora três conceitos fundamentais para projetos: o ciclo de vida do projeto, o processo administrativo do projeto e as áreas de conhecimento.

Concluindo, a moderna administração de projetos, que nasceu com a sistematização promovida pelo PMI, baseia-se em dois conceitos fundamentais: o processo de gerenciar um projeto e as áreas de conhecimento (ou variáveis da administração).

Áreas de conhecimento: Os processos gerenciais ensinam como gerenciar o projeto.

Já as áreas do conhecimento são o conteúdo do projeto, ou seja, o que deve ser de fato, administrado.


O Guia do PMBOK identifica dez áreas de concentração dos conhecimentos de um projeto.

A integração: (Project integration management), na visão do PMI, compreende o processo de preparar, executar e controlar o plano do projeto, considerando todas as áreas a seguir.


O escopo (Project scope management) refere-se ao produto do projeto.

A administração do tempo ou dos prazos: (Project time management) trata do planejamento, programação e controle das atividades que devem ser concretizadas para que o produto possa ser fornecido.

A administração de custos: (Project cost management) diz respeito ao planejamento dos recursos necessários para a execução das ações e da preparação e controle do orçamento do projeto.

A administração da qualidade: (Project quality management) fala sobre o planejamento, garantia e controle da qualidade do produto do projeto.


A administração de recursos humanos (Project human resource management) ensina sobre o planejamento, organização e desenvolvimento da equipe do projeto.

A administração das comunicações: (Project communications management) trata das informações necessárias para a administração do projeto e de sua documentação, desde o planejamento até o fechamento administrativo do projeto.

Sabia que existe a administração dos riscos?


É o Project Risk Management (Gerenciamento de Risco do Projeto) que poderá identificar, analisar, tratando e controlando os riscos.


O que significa que há um gerenciamento relacionado aos eventos adversos que podem afetar negativamente esse projeto.

A administração de Partes Interessadas e por fim, a administração de suprimentos (Project procurement management) fornece informações sobre a aquisição de produtos e serviços de fornecedores, abrangendo o planejamento, execução, contratação e controle de compras.

Ao analisar e revisar, ao publicar o PMBOK, o PMI visa oferecer um conjunto de melhores práticas que se forem seguidas no gerenciamento de projetos aumentarão as chances de sucesso.


Outra vantagem obtida com a publicação do PMBOK foi a padronização da gestão de projetos.


Antes, cada empresa ou gestor definia processos, ferramentas e técnicas únicas para cada tipo de projetos que assumia.



Quais são os benefícios do PMBOK?


Você já deve ter entendido que há muitos benefícios no PMBOK para gerir projetos, seja pela elaboração ou pelo curto prazo efetivo.

Vamos conferir todos os benefícios!

1. Identificação de projetos com problemas: Uma das áreas de conhecimento do projeto PMBOK é o monitoramento e controle do projeto.


Nela, os objetivos são rastrear, regular o progresso e o desempenho e supervisionar.


Sendo assim, dá para identificar áreas de erro no projeto em que será preciso realizar algumas alterações.

2. Gerenciamento e otimização de processos: Claro que essa patrulha mais intensa com os possíveis erros do projeto pode trazer maior otimização e melhor gerenciamento dele.


E isso é o que todo empreendedor de sucesso deve saber: otimizar as atividades do seu negócio, tanto por meio do aumento de produtividade, redução de custos ou qualquer outra medida, que é uma ótima forma de impulsionar uma empresa.

3. Cumprimento de metas: O desenvolvimento de um projeto está em constante evolução, isso traz bastante dificuldade no momento de estipular as metas para um projeto.


Então, imagine quão benéfico seria ter um guia que ajudasse você a definir as metas e que possuísse uma visão ampla o suficiente para se adaptar.

É isso o que o projeto proporciona! O PMBOK faz isso por você:

1. Planeja

2. Organiza

3. E direciona e controla a equipe de um projeto para conseguir atingir e estabelecer metas específicas.

Porque afinal, de engenharia civil a projetos de TI, ter um guia capaz de ajudar a controlar a qualidade, garantir a entrega no prazo, além de claro, conseguir a satisfação do cliente.

4. Maior previsibilidade: Como o projeto PMBOK ajuda você com todo o planejamento, isso garante maior previsibilidade e antecipação quanto aos possíveis riscos.


Ao ter em mente o que pode dar errado, você pode criar um plano de ação com as soluções que se encaixaram em cada problema.

Algo válido para mencionar, é que ao surgir um problema, o projeto será sido acima do investimento previsto inicialmente.


Como solução você pode acrescer um dinheiro extra caso ocorra imprevistos financeiros como esses.

O PMBOK pode garantir:

1. Padronização das atividades do gerenciamento do projeto;

2. Melhoramento do fluxo de comunicação entre as partes envolvidas;

3. Redução da negligência de atividades importantes;

4. Ênfase no uso eficiente de recursos;

5. Controle do andamento do projeto;

6. Tratamento dos riscos de forma otimizada;

7. Potencialização a chance de o projeto obter sucesso.

Ainda confuso(a) sobre o que é o PMBOK? Confira 5 grupos de processos do PMBOK:

Na iniciação, são esses os processos que começarão um novo projeto, como identificar uma necessidade ou receber autorização;


No planejamento, são processos que estabelecem a proposta inicial do projeto, como definir os objetivos e elaborar o plano de ação;


Enquanto na execução, também chamado de Implementação em edições anteriores, estes são os processos para avançar o projeto, executando o trabalho definido no planejamento, atendendo às especificações necessárias;


Na questão de monitoramento e controle: esses já são os processos executados que rastreiam e revisam o desenvolvimento do projeto, realizando mudanças e ampliando prazos conforme a necessidade;


Já para o encerramento: estes são os processos que a equipe de avaliação de qualidade verifica e finaliza para uso oficial.



Para ficar claro o que é o PMBOK, em suma, trata-se de um guia que oferece exatamente o que promete.


Conjunto de boas práticas que podem ser utilizados na maioria dos projetos na maior parte do tempo.

Uma metodologia desenvolvida com base neste deve começar por definir o que, como, o que, quando e quanto.


O PMBOK é certamente um excelente ponto de partida, e ter uma boa base é fundamental, mas as fundações são sempre apenas um ponto de partida.

Para funcionar, o PMBOK deve estar claro que as fundações estando estáveis, o verdadeiro trabalho de construção de uma metodologia útil ou adaptação de uma metodologia poderá começar a ser desenvolvido.

A verdadeira face do que é PMBOK, é a habilidade sobre reservar que essa metodologia seja tão simples, rápida e fácil de usar quanto possível ao aplicar o rigor suficiente para otimizar os resultados de um determinado projeto.

e-book-passo-a-passo.jpg
infografico-implantaçao-franquia.jpg
infografico-como-funciona-o-manual-de-ar