Como a Neuroarquitetura pode melhorar ambientes?

Atualizado: 13 de Set de 2019


Alguma vez em sua vida você já ouviu falar sobre a Neuroarquitetura?


O termo mais abrangente refere-se ao estudo da neurociência aplicada nada menos que a arquitetura.


Caso contrário, descubra essa ferramenta inovadora!


Isso porque o ambiente físico certamente impacta em nosso cérebro através de estímulos inconscientes.


Se aplicada ao dia a dia, a Neuroarquitetura pode melhorar diferentes áreas:

1. Personalização e empatia;

2. Explorar todas as vias sensoriais;

3. Estímulos de relaxamento para a saúde;

4. Cores;

5. Iluminação;

6. Elementos naturais que causem bem-estar ao contato do ser humano com parte da natureza;

7. Sensação de segurança;


Visando a melhor compreensão do conceito da neuroarquitetura, vale colocar em destaque que tal termo deve ser analisado pela sua junção:


No quesito da arquitetura, ressaltamos a importância de um ambiente funcional e até mesmo prático, e com relação à neurociência, é possível destacar a forma em que as pessoas se sentem quando estão em um determinado local.


Assim, a junção entre os dois termos conceitua-se como a forma de proporcionar um ambiente agradável, que ofereça boas impressões às pessoas, com um estrutura harmônica e devidamente organizada.


Atualmente existem diversos estudos relacionados do tema que vêm sendo realizados e desenvolvidos no Brasil.


No entanto, a maioria ainda é voltado para os projetos comerciais, já que o recurso visa estimular a produtividade dos funcionários, onde é possível melhorar o foco e a concentração.


Mas, você sabia que é possível aplicar à técnica em casa, em escolas, restaurantes e assim por diante?

A neuroarquitetura em um projeto comercial:

Conforme já colocado, a Neuroarquitetura pode ser transversal a qualquer projeto independentemente do local onde será implementada.


Portanto, se você é um empresário e deseja montar um comércio, por exemplo, saiba que apostar nos recursos desta Ciência pode auxiliá-lo a criar um empreendimento que conquiste e fidelize seus clientes.


Vale ressaltar que devem ser avaliadas as necessidades e experiências ao mesmo tempo que se aplica os conhecimentos que a Neuroarquitetura proporciona, aumentando a qualidade de vida e bem-estar não só das pessoas enquanto profissionais.


Para organizar um projeto que leve em conta os conceitos da Neuroarquitetura, a contratação de profissionais do ramo de Arquitetura se faz essencial.


Somente uma equipe qualificada nesta área poderá fazer os devidos apontamentos, escolha de materiais, cores e itens decorativos que trarão sucesso de acordo aquilo que se espera em um empreendimento que tem por objetivo ser agradável.


A não contratação profissionais qualificados no assunto pode acarretar erros na execução do projeto, e aquilo que deveria ser harmônico e confortável, pode tornar-se o oposto, gerando prejuízos e insatisfações a todos.


Por lidar apenas com empreendimentos comerciais, seja de lojas próprias ou franquias, a Artusi Arquitetura sabe e conhece tudo aquilo que precisa ser levado em consideração no momento de montar um ambiente de acordo com tudo que a Neuroarquitetura aplica.


Garantindo a seus clientes uma boa execução do projeto arquitetônico.

A Neuroarquitetura também encontra-se:

  1. No olfato, utilize aromas;

  2. Na audição, músicas;

  3. No o tato, texturas;

Mas cada pessoa tem suas necessidades.


Para obter o resultado esperado, cada projeto é diferenciado e personalizado.

Mas se você deseja refletir melhor sobre a neuroarquitetura, confira esse estudo realizado em parceria com a Artusi Arquitetura:

1. Por exemplo, ao livre, os ambientes bem iluminados e com boa ventilação estimulam um bom relaxamento. Poderá ser projetado uma fachada com vista para a luz do sol.

2. Já para a iluminação artificial, na área íntima, dá para investir em luz amarela que ajuda a estimular a produção de melatonina.


A luz branca deve ficar em áreas que exigem concentração e foco.

3. Enquanto na natureza, a presença do verde tem consequências tão intensas em nosso ser que nem todo mundo possui a noção exata.


Criar sensação de natureza estimula o relaxamento também, apostar em plantas, quadros com paisagens, piso de madeira e até fontes de água são estímulos inconscientes que dão certo para as atividades cerebrais.

4. A organização dos ambientes é um dos pilares da neuroarquitetura.


Afinal, nada é tão tranquilizante quanto livrar-se da bagunça.


Estudos indicam que ajuda até a controlar a ansiedade.

A Neuroarquitetura no ambiente corporativo: aposte e alcance melhores resultados


As relações de trabalho e a qualidade de vida dos colaboradores estão fazendo parte de debates e discussões no mundo dos negócios, mas por quê?



O ambiente de trabalho pode despertar e estimular sensações em cada funcionário.


Dessa forma, a Neuroarquitetura no ambiente corporativo se faz presente.


Muitos empresários estão em busca de modernizar os ambientes corporativos, onde é desejável melhorar a qualidade desses espaços para os colaboradores e promover uma interação mais desenvolvedora entre pessoas e locais de trabalho.


Conheça a psicologia das cores e porque ela se torna necessária em ambientes, como o local de trabalho, e quais são as cores adequadas:


As cores são estudadas e conhecidas por criarem efeitos psicológicos em cada pessoa e estimular reações.


Estudada pelo marketing e pela publicidade, há resultados comprovados dessa influência em nossas funções cerebrais.

Um exemplo são as praças de alimentação que são repletas de amarelo e vermelho, cujas as propriedades estão relacionadas a movimento, energia, paixão e fome.


As cores são escolhas principalmente redes de fast-food.

As paletas neutras e detalhes em cores fortes são pilares em projetos corporativos.


Devido ao equilíbrio de tons, que elimina a monotonia e tem uma elegância única.


Os tons escuros são clássicos e expressam um tom de seriedade.


É recomendado para ambientes grandes e em espaços menores apenas nos detalhes, para não gerar impressão de sufocamento; Os tons claros e pastéis, podem transmitir tranquilidade, dão a sensação de ampliação do ambiente.


Em excesso podem tornar o local entediante e frio, por isso deve-se tomar sempre cuidado e contar com o auxílio de profissionais especializados.


Já os tons mais vibrantes, são relacionados ao dinamismo, juventude e criatividade.


Mas utilizando em excesso, podem deixar o ambiente cansativo.


E quanto ao isolamento acústico?


O som possui forte influência na concentração e no rendimento dos colaboradores.



Por isso as empresas normalmente escolhem o som ambiente.


Mas para dar vida ao local, é necessário entender a natureza das atividades da organização para encontrar conforto sonoro para os funcionários no seu ambiente de trabalho.


O isolamento acústico serve para escritório, os sons suaves promovem tranquilidade, concentração e conforto auditivo.

A iluminação natural é uma questão que trata sobre o conforto e da qualidade de vida no trabalho.


A intensidade da iluminação e suas cores estão ligadas a sensações como tranquilidade e transparência.


Se precisar ter uma sala de espera em seu empreendimento, a recepção pode pedir por uma luz mais baixa e amarelada, por dar uma sensação de acolhimento.


Enquanto uma sala de reuniões necessita de uma iluminação mais forte, que gera um efeito de clareza, transparência, sendo importante em negociações.

Neuroarquitetura em escolas:


Papel importante no aprendizado e relações pessoais.


Para a Artusi Arquitetura, ter salas de aula amplas, com grandes janelas e luz natural é muito vantajoso, já que produz mais rendimento que o ensino transmitido em salas apertadas e escassamente iluminadas.



A arquitetura dos colégios normalmente requer o processo cognitivo e emocional para aprender e memorizar, de acordo com os códigos do cérebro humano e a verdadeira natureza humana e sejam, além disso potenciadores de agressão, insatisfação e depressão.


Mas essas questões são dificilmente discutidas.


Participar de uma vivência limitada ao espaço de uma sala de aula, longe das grandes extensões de terra com horizontes abertos ou montanhas, árvores, de solos cobertos de verde tem alterado os códigos básicos da aprendizagem e memória faz parte da concepção da neuroeducação.

As escolas projetadas através da Neuroarquitetura poderão ser ainda mais efetivas quanto ao aprendizado gerado e esperado.


Pode-se analisar gatilhos que ativam as mais diversas partes do cérebro, e que alguns desses gatilhos são elementos presentes da Arquitetura.


Gerando um movimento muito interessante da Neuroarquitetura, onde leva em conta a criação de escolas com formas inovadoras que gerem bem-estar em conjunto ao aprendizado.


Novos edifícios nos quais, embora seja importante seu desenho arquitetônico, a luz seja contemplada, assim como a temperatura e o ruído, que tanto afetam o rendimento mental de cada aluno.


Já que agora você já sabe que a Arquitetura e Neurociência andam lado a lado no processo de construção de um ambiente, o conceito de Neuroarquitetura traz transformações significativas para a forma de pensar e construir espaços, quaisquer sejam eles.


A medicina e a tecnologia têm tornado visíveis processos que acontecem no cérebro e que influenciam o comportamento e as tomadas de decisões mundanas.


O que também possibilita ver o que nos influencia ao nosso redor.


Tendo esse conceito alinhado, há a também existência do campo da biofilia na Neuroarquitetura em escolas.


A tendência dos seres humanos a se voltarem ao natural, eleva a ambientes dotados de vida verde, porque eles influenciam a mente humana em aspectos positivos, sendo necessário ter plantas dentro do cenário de design arquitetônico.


Desse modo, os arquitetos dos projetos e construção dos colégios, ou de qualquer outro edifício de educação, começa-se a refletir e organizar considerações importantes.


Os edifícios não partem apenas da razão e do cálculo na montagem de seu desenho e construção, mas também, trata-se de emoção e sentimento em um grau sublime.


A nova Neuroarquitetura trabalha todas as perspectivas inéditas com as que se pode romper tempos e espaços antigos para convertê-los em tempos e espaços mais dignos.



Na Artusi Arquitetura, os processos dão início com uma reunião com cliente para entender o que o mesmo precisa, entendendo o mercado que a empresa atua.


Após isso será realizado um estudo levando em conta seus princípios, visão e valores a serem transmitidos, analisamos potenciais e diferenciais da marca, concorrentes diretos e muito mais para que a Arquitetura possa dialogar com o seu negócio de um modo funcional.


Após entender o conceito que o cliente precisa, será efetuado o estudo preliminar, fazendo um levantamento físico, levando em conta a localização, características desejáveis, seu público alvo e qual será o reflexo arquitetônico gerado no projeto.


A partir disso, o projeto passa a ser executado, e tendo entendido todos os anseios que envolvem os objetivos do empreendedor para seu novo negócio, a equipe de arquitetos consegue traçar maneiras que efetivas de proporcionar um ambiente agradável.


Utilizando conceitos e dominando técnicas inerentes à Neuroarquitetura, certamente profissionais do ramo de Arquitetura poderão fazer com que os horizontes de seu empreendimento se ampliem, caindo no gosto das pessoas.