Gerenciamento de riscos! Você faz isso para o seu negócio?

Atualizado: 22 de Out de 2019

Nós já falamos de tantas coisas aqui nos vídeos anteriores, sobre as áreas de conhecimento que o PMBOK sugere, mas hoje vamos falar da mais importante, pelo menos na minha opinião: gestão de riscos.


Antes de falar como podemos gerenciar os riscos, precisamos entender melhor o que é risco.


Risco se resume a equação Probabilidade X Impacto.


Se estamos falando de probabilidade, logo estamos falando de algo que não é 100% certeza, pois se fosse, seria um fato.


Então quando dizemos: não gosto de ir a determinado bairro a noite, pois é muito arriscado. O que estamos querendo dizer com isso?


Significa que há uma alta probabilidade de algo ruim acontecer, e se acontecer, o impacto pode ser alto, como ser roubados, sequestrados, etc.


Infelizmente, devido à noticias tão comuns, parecidas com o exemplo anterior, associamos o risco a algo ruim. Mas não é sempre assim.


O risco pode ser algo positivo, e neste caso ele é uma oportunidade, ou pode ser algo negativo, e neste caso ele pode ser uma ameaça.


Em algumas situação, tem pessoas que vão enxergar uma oportunidade e outras uma ameaça para o mesmo risco.


Quer um exemplo?


Saltar de paraquedas!


Algumas pessoas dizem ser um esporte de risco, e de fato é.


Mas pra mim, que já pulei, foi uma oportunidade de viver uma experiência incrível, mesmo sendo arriscado.


É uma sensação de sentir algo que não se sente com o pé firme no chão. Já para outras pessoas, é uma ameaça de vida.


De fato é, mas é por isso que eu tive um risco calculado, de escolher uma empresa experiente, que utilizasse equipamentos de segurança, e que eu confiasse.


Agora vamos entender como gerenciar ou mesmo ter consciência dos riscos envolvidos na obra, podem ajudar você alavancar seu negócio ou colocá-lo numa situação complicado antes mesmo de inaugura-lo de fato.


Estamos falando da necessidade de gerenciar os riscos da obra da sua empresa, aquele que você vai fazer para ter sua empresa funcionando e recebendo clientes que paguem.


A primeira coisa a fazer é identificar os riscos, positivos ou negativos que podem impactar na sua obra, e consequentemente no seu negócio.


Para identificar os riscos, o primeiro passo é identificar os dados históricos.


Mas por onde começar se eu nunca fiz isso, logo não tenho histórico dos riscos para a minha empresa?


Talvez esta seja sua primeira obra, e como já dissemos aqui, cada projeto é único.


Porém, por causa disso significa que você não deve identificar os riscos só por que não o conhece, ou porque nunca fez isso?


Realmente você não tem histórico para a obra da sua empresa, mas e para outros tipos de obras semelhantes?


Não consegue encontrar um especialista no assunto, que lhe ajude a identificar os riscos recorrentes em obras do mesmo tipo?


É como se as seguradoras, agora que a Renault acabou de lançar o Capture, falassem que não vão fazer seguros destes carros, por que não tem histórico sobre eles.


Isso não deixa de ser verdade.


Mas há carros semelhantes que no primeiro ano, podem ser usados como referência.


Carros, com mesmo porte, motor e opcionais.


E então, após 1 ano, ele terá seu primeiro dado histórico real, sendo possível usar estes dados mais apurados para a formatação dos seguros deste mesmo carro no ano seguinte.


Voltemos às obras, os riscos mais comuns em obras:



Note que para cada evento do risco, há tanto a possibilidade de torná-lo uma oportunidade quanto uma ameaça.


Assim, depois que você identifica os riscos, você pode prever estratégias para lidar com eles, ANTES deles ocorrerem, exemplo:


Você pode Evitar um risco, eliminando a ameaça por eliminar o que o causa.


Um jeito de evitar riscos de perder dinheiro num negócio é nem iniciá-lo.


Porém, entenda, que só ganha mais quem está disposto a correr riscos.

A segunda estratégia pode ser mitigar o risco.


Isto é, você diminui a probabilidade dele ocorrer, ou o impacto.


Exemplo: trabalho em altura tem o risco de ferimento com queda.


Elimina-se o risco por incluir equipamentos de segurança para este tipo de trabalho.


A pessoa pode até cair, mas não vai se ferir.


A última estratégia para riscos negativos pode ser transferir a responsabilidade do risco.


Seguros cumprem esta missão.


Quando você compra uma apólice de seguro de obras, transfere à seguradora o risco de pagar a conta, caso algum acidente ocorra.


Como falamos no inicio, nem só de riscos ruins vivemos. Há também os riscos positivos.


Porém ao contrário do que fazemos com os riscos negativos, onde procurarmos evitar, nos riscos positivos aplicamos estratégias para maximizar seus efeitos.


Primeiro, procuramos explorar esta oportunidade.


O fato de você investir num negócio, o torna diferente dos demais.


Você viu uma oportunidade, e tomou ações para tirar proveito dela.


Você também pode melhorar os riscos positivos, aumentando a possibilidade de eles ocorrerem.


Compartilhar também é uma estratégia de oportunidade, pois trata-se de disponibilizar uma parte do empreendimento para um terceiro, ou melhor parceiro, que o ajude a cumprir seus objetivos de maneira mais efetiva.


Quando você identifica os riscos e define quais estratégias utilizar antes mesmo deles ocorrerem, não é pego desprevenido sofrendo uma ameaça ou perdendo uma oportunidade que poderia agarrar caso tivesse feito a lição de casa.


E aí? Concorda comigo quando digo que gerenciar riscos é uma da coisas mais importantes que você pode fazer pela obra da sua empresa, ou mesmo pelo seu negócio?


Falamos de obra, por que é o que sabemos fazer, mas lembre-se que estes conceitos podem ser aplicados em todos os projetos, sejam eles profissionais ou pessoais.


Fale aqui nos comentários, o que você tem feito para gerir os riscos dos seus projetos.


E não venha me dizer que você não faz, ou nunca fez.


Todos fazemos, a diferença é se estamos conscientes disso ou não.


Aguardo seus comentários e o seu joinha, ok?


Até o próximo artigo, obrigada.

e-book-passo-a-passo.jpg
infografico-implantaçao-franquia.jpg
infografico-como-funciona-o-manual-de-ar