Cobogós, como utilizá-los para diferenciar sua arquitetura

Atualizado: 25 de Jul de 2019



A arquitetura impressiona muitas pessoas pelo fato de ser extremamente versátil.


Em projetos arquitetônicos, você pode ver um planejamento elaborado através de técnicas não somente para deixar um espaço bonito, mas também para trazer conforto, sustentabilidade, ideias ecológicas, entre outras estratégias.


E dessa forma, escolhemos falar de algo muito utilizado na arquitetura: os cobogós.


A seguir, elaboramos tópicos para você entender melhor sobre esse elemento tão usado na arquitetura.


Desde sua origem, até mesmo sobre sua funcionalidade e formas de uso.


Se interessou?


Nós selecionamos as informações para você! Continue acompanhando o artigo:


O que são cobogós?


Cobogó é o nome utilizado para designar elementos vazados.


Eles podem ser usados em áreas internas, externas, fachadas, muro – é um elemento que pode ser usado em muitos ambientes, aliado a criatividade e estratégia.


Sua função, além da estética, é atribuir maior ventilação, luminosidade e passagem de ar.


Em relação ao material, se iniciou com o concreto.


Entretanto, atualmente pode ser usado com diversos materiais, como vidro, cerâmica, acrílico, resina, pvc, madeira e cerâmica.


Utilizado tanto na arquitetura quanto no design de interiores, os cobogós estão espalhados pelo mundo inteiro.


Mas quando se iniciou seu uso? Quando foi criado? A gente te conta mais no próximo tópico.


Origem e história


Os cobogós foram criados no Brasil, especificamente na cidade de Recife, no estado de Pernambuco.


Criado em 1929, através do grupo de arquitetos formado por Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio de Goes.


Inclusive, o nome leva a junção dos três últimos nomes de cada um.


Uma homenagem e tanto, não é mesmo?


Dessa forma, os cobogós surgiram da estratégia de criar algo novo para combater o calor típico do Nordeste – onde as temperaturas são muito altas, em diversas épocas do ano.


Em relação a criação, obteve-se inspiração de outros elementos arquitetônicos: os muxarabis. Sendo esses, elementos utilizados pelos árabes.


Com intuito parecido, os muxarabis também visavam a melhor ventilação possível nos espaços.


Funcionalidade





Uso de cobogós em estabelecimentos.


Os cobogós tem uma relação muito importante com preocupações ambientais e ecológicas.


Apesar de ser uma parede, possui os vazamentos no material que liberam a passagem de ar e a iluminação natural – isto é, a iluminação que provém da luz do sol. Incrível, não é?


Ele tem a função de fechar ambientes mantendo a ventilação e entrada da luz.


Outro fator importante é a privacidade que pode oferecer no ambiente, apesar de ser um elemento vazado, ele divide os cômodos conforme o desejado.


Dessa forma, mesmo dividindo os cômodos, ainda consegue integrar os ambientes da casa ou de outro espaço requerido.


E é claro, sem dúvidas, ele traz uma estética autêntica e bela para qualquer lugar.


Unindo todas essas funcionalidades, não tem como errar com esse elemento na decoração, né?


A preocupação com o meio ambiente sempre é colocada em pauta através da arquitetura e respectivos arquitetos, e dessa forma, os cobogós sabem criar uma conexão importante com a estética e questões ambientais.


Os cobogós produzem conforto ambiental, que muitas vezes é uma missão difícil para os arquitetos.


Não são todos os espaços que podem produzir isso, além de ter outros aspectos envolvidos como conforto acústico, térmico e outros elementos físicos e naturais.


Agora que você já sabe sobre a importância e funcionalidade dos cobogós, separamos algumas dicas de utilização para você aplicar e influenciar sua arquitetura. Vamos lá?


Como utilizar os cobogós





Ao lado direito da imagem, podemos ver uso do cobogó em uma cozinha.

Os cobogós são ótimos elementos para usar na decoração, pois podem ser utilizados conforme a criatividade de cada arquiteto.


Podem ser usados em salas, banheiros, áreas de lazer, cozinhas, quartos, piscina, enfim muitos espaços.


É só escolher qual material e cor combinam mais com o ambiente desejado.


Em relação aos materiais, as estruturas de madeira e ferro acabam reduzindo um pouco a quantidade de luz, mas sem diminuir a circulação do ar.


Dessa forma, são ótimas escolhas para bloquear a luz solar de ambientes de áreas de lazer, como a varanda de uma casa.


Além de, evitar e bloquear o calor causado.



Já para o interior da casa, os cobogós feito a partir de cerâmica, são uma ótima escolha de uso.


Isso acontece porque são fáceis na hora de limpar e manter.


Além da beleza, elegância e autenticidade que ele traz para o espaço.


Já os cobogós de cimento, que estão presentes desde a sua criação, são bons para as áreas externas, pois condizem com áreas mais diferenciadas e até mesmo rústicas.


Vamos falar mais sobre a sua utilização em espaços específicos:


  • Fachadas: Inicialmente, era identificado como maior uso. Faz uma complementação da arquitetura utilizada para compor fachadas de residência, por exemplo.


  • Paredes: Muito utilizado em paredes de lugares pequenos, pois divide os cômodos, sem separa-los completamente. Traz a sensação de amplitude e bom aproveitamento do espaço, pois possibilita visualizar os outros cômodos.


  • Sala de jantar: Possibilita uma linda decoração do ambiente. É muito utilizado em sala de jantar e sala de estar, pois traz um certo refinamento e elegância.


  • Cozinha: Como os cobogós trazem iluminação natural para o espaço, é uma boa escolha para as cozinhas, além de poder dividir a cozinha da lavanderia, como acontece em muitos apartamentos menores.


  • Corredores: Seu uso é muito comum em corredores também, pois transforma o espaço em algo mais moderno, com o uso de cores vibrantes, formas geométricas diferenciadas – enfim, todo o estilo que a pessoa desejar para o seu espaço.


  • Áreas externas: E é claro que nas áreas externas não poderia faltar o seu uso. Como a iluminação natural é uma característica essencial dos cobogós, essa escolha é ótima para ambientes abertos, além de amenizar o calor.


Como você pode ver, os cobogós podem ser usados em inúmeros lugares, esses foram apenas alguns exemplos.


Para quem gosta de utilizações com inspirações contemporâneas, o uso do cobogó também é recomendado.


Por conta da versatilidade de formas geométricas e de cores, é possível utilizar cores mais vibrantes, com um design diferenciado e mais ousado – conforme o seu perfil e preferências.


Aliado à sua ligação com o meio ambiente e elementos físicos, o cobogó também ajuda na economia de energia, por filtrar a luz do sol e garantir ventilação constante.


Como você pode ver, desde a criação do cobogó, diversas utilizações e materiais diferentes foram agregados a esse elemento.


Fantástico e muito criativo, não é mesmo?


O cobogó, mesmo tendo sido criado em 1929, continua sendo um elemento muito atual para usar na arquitetura.


Como já abordamos nesse artigo, a sua versatilidade é uma marca registrada.


Portanto, essa é uma das razões que esse elemento atravessa todos os anos e até mesmo décadas, após sua criação original.


Deve ser valorizado e utilizado por suas tantas possibilidades de uso.


E é claro, não podemos ignorar o fato de ser um item nacional, desenvolvido no Brasil.


Cuidados na instalação


Os cobogós são elementos que precisam de atenção e cautela, pois não são paredes tão resistente quanto as comuns.



Dessa forma, listamos alguns cuidados que você deve tomar na hora da sua instalação:


  • Como frisamos anteriormente, o cobogó não tem a mesma resistência estrutural que os blocos de concentro ou de tijolo. Sendo assim, não o use como base de apoio.

  • O piso onde os cobogós serão assentados deve estar devidamente limpo e nivelado.

  • Para grandes painéis, invista no reforço da estrutura. Pode optar por ferro embutido, por exemplo.

  • Como as estruturas são frágeis, evite colocar peso sobre eles, como por exemplo outros materiais que vão ser usado em uma reforma ou no projeto em si.

  • Cada material possui uma peculiaridade e cuidado especial. Dessa forma, pesquise sobre os inúmeros materiais (cimento, cerâmica, vidro, madeira, entre outros) que você pode usar na hora de criar cobogós.

  • E claro, não esqueça de analisar a estrutura que você deseja colocar o cobogó. Cada detalhe é importante na hora da instalação.


Normas de utilização


Assim como muitos elementos de um projeto arquitetônico, os cobogós também possuem suas normas para utiliza-los de maneira correta e sucedida.


É importante frisa-las para garantir o sucesso do projeto, além de seguir todos os procedimentos que são pedidos.


Algumas normas:


  • NBR 05712, que trata de blocos vazados modulares de concreto.

  • NBR 07173, que orienta no uso de blocos de concreto simples sem função estrutural.

  • NBR 07184, que fornece parâmetros para determinar a resistência e compressão.

  • NBR 15220, que fornece instruções para análises térmicas em fachadas ventiladas

  • NBR 8995, que informa níveis mínimos de iluminação de acordo com a atividade e função do ambiente.


Conclusão


Os cobogós são ótimos elementos para usar na sua arquitetura, e esperamos que com esse artigo você tenha obtido as informações necessárias para aplica-los no espaço que você deseja.


Com a sua versatilidade, funcionalidade e eficiência, com certeza tem o poder de transformar e trazer modernidade para o ambiente.


Por fim, desejamos que você faça bom uso das nossas dicas para aplicar na sua decoração e arquitetura!