6 coisas que você precisa saber antes de abrir uma loja de alimentação

Atualizado: 25 de Jul de 2019



As lojas de alimentação são ótimas formas de ter um bom empreendimento, e respectivamente, um retorno financeiro.


Em todo o canto que você vai tem uma loja de alimentação, não é mesmo?


E realmente, o mundo está repleto delas.


A maioria das pessoas visita esses comércios em busca de novas experiências gastronômicas.


Mas, para ter uma loja de alimentação, basta ter um bom cardápio?


Não.


Quem dera fosse fácil assim!


Uma loja, assim como qualquer empreendimento, precisa de pessoas capacitadas e experientes para administra-las.


Para empreender na área de alimentos, deve-se ter em mente que esse campo é muito procurado e promissor.


Por outro lado, a concorrência aumenta.


Há cada ano que passa, as pessoas se tornam mais exigentes do que está sendo apresentado e posto na mesa para elas.


Sendo assim, você deve ter diferenciais para agradar o seu público alvo.


Existem muitos recursos que fazem você alavancar o seu negócio.


Para obter uma loja de alimentação de sucesso, você deve levar algumas coisas em conta como: a arquitetura, que abrange grande parte do processo; infraestrutura; equipamentos; seguir as normas exigidas; a equipe; profissionais qualificados e competentes; investimento; marketing; ter conhecimento em administração, contabilidade e gestão, ou contratar outros profissionais para gerenciar essa parte especifica.


Ufa, acabou?


Ainda não.


Existem muitos outros elementos que fazem você ter sucesso. Entretanto, esses são os principais.


Algumas coisas você só vai aprender com imprevistos – mas calma, se você tiver um planejamento estratégico e elaborado você resolve com eficiência.


A seguir, listamos as 6 coisas que você precisa saber antes de abrir uma loja de alimentação:


Identidade visual


O primeiro passo para dar início ao projeto arquitetônico da sua loja. Primeiramente, você deve pensar no que a sua loja quer representar.


Comece com perguntas como:


  • O que eu quero em relação ao meu empreendimento?

  • Quais são as minhas metas?

  • Quais são as minhas propostas?

  • Qual é o meu público alvo?

  • O que eu quero demonstrar para a minha clientela?


São perguntas simples, mas que você precisa achar as respostas, para o seu empreendimento começar.


Você precisa estabelecer para quem está fazendo seu negócio e quais são as características que você quer atingir do seu público.


A identidade visual mostra quase tudo sobre o que o seu negócio é.


Mesmo que não seja o que aparenta, é essa imagem que seus clientes vão carregar quando ouvirem falar da sua loja.


O arquiteto escolhido para criar esse conceito, deve ter ideias novas e criativas – e a mais importante: instigar o cliente da loja a ter vontade de comer.


Cada detalhe faz a diferença.


Por exemplo, quais são as cores que você quer usar no seu espaço? Elas condizem com a sua proposta? É comprovado que cores como vermelho e amarelo estimulam a vontade de comer.


Incrível, não é? São muitos detalhes.


Layout


Você precisa elaborar perfeitamente o espaço que tem e o que deseja colocar nele.


E para isso, um layout é imprescindível.


O layout é elaborado a partir da planta baixa.


É ele quem vai definir o futuro do seu negócio, e até mesmo, o sucesso.


Para realizar o layout, você deve ser fiel ao conceito que deseja utilizar.


Nesse processo, vão ser definidos os lugares das mesas, cadeiras as janelas, a cozinha, os equipamentos, entre outras coisas.


Esse projeto deve ser feito a partir do seu conceito e do que você almeja para o seu empreendimento.


Não se baseie nos layouts alheios ou da concorrência, faça o seu conforme o que você precisa na sua loja.


Qual é o espaço necessário para você no salão?


Lembre-se: não queira colocar muitas mesas para atender um número grande de clientes.


Tenha mesas suficientes, mas que possibilitem o cliente transitar em toda a sua loja sem esbarrar em algo ou alguém.


O arquiteto do projeto avalia e decide a quantidade de espaço necessária que cada elemento requer, por exemplo, a distância entre as mesas.


Analise o fluxo de clientes e funcionários, por exemplo.


Qual a quantidade de espaço que você precisa dispor nesse quesito?


É recomendado não abrir uma loja de alimentos sem ter um layout elaborado – vamos ser sinceros e diretos: a chance do seu empreendimento dar errado é muito grande.


Mobiliário


Os móveis da sua loja vão dizer muito sobre o seu empreendimento.


É uma etapa que deve ser escolhida com cautela – juntamente com o arquiteto.


Ao escolher os móveis, priorize o conforto e o aconchego dos seus clientes.


Ao ir até a sua loja de alimentação, eles procuram por uma nova experiência, e esperam que seja das melhores.


Dessa forma, invista nos móveis e na sua decoração visual.


Use essas ferramentas como destaque para se diferenciar no mercado, e é claro, da concorrência.


Analise e estude quais elementos vão compor o seu cenário.


O que se parece mais com o seu negócio? Decoração rústica, formal, industrial, tradicional, moderna? Você escolhe!


Não tenha medo de investir em formas, texturas e cores.


Personalize seu negócio tendo em mente a relação da decoração com a proposta que deseja passar para os seus clientes em potencial.


Equipamentos


Outra parte crucial para se pensar antes de abrir uma loja de alimentos.


Os equipamentos do seu negócio também são fatores que podem alavancar suas vendas – ou diminui-las, se não tiver equipamentos de boa qualidade para uso.


Esse é um investimento preciso para qualquer pessoa que deseja empreender na área alimentícia.


Deve ser feito um estudo sobre o espaço que ficarão localizados os equipamentos.


No layout, como falamos acima, eles aparecem.


Mentalize os lugares que esses itens vão ocupar.


Descarte a ideia de ter equipamentos desnecessários.


Compre apenas o que é necessário e eficiente para o seu negócio.


Alguns exemplos dos equipamentos mais usados nesse ramo:


  • Fogão industrial

  • Coifa

  • Estufas

  • Forno

  • Fritadeira

  • Freezers industriais

  • Geladeiras industriais

  • Bancadas, preferencialmente de aço inox

  • Liquidificador

  • Chapa gás

  • Utensílios que a sua loja necessita (panelas, talheres, tábuas, pratos, etc.)


Esses são os equipamentos de maior uso.


Porém, você pode adquirir outros de sua preferência.


E principalmente, deve verificar como será a operação desses equipamentos para desenvolver seu layout.


Iluminação



É uma característica que pode mudar completamente o seu negócio.


O arquiteto avalia qual é a melhor iluminação para o local, conforme as necessidades de quem está presente no local.


A iluminação utilizada de forma correta, traz conforto visual para quem está no local.


Evita o esforço da visão e outros desconfortos pertinentes.


No projeto arquitetônico, você não pode esquecer da iluminação.


Arquitetos qualificados com certeza não esquecem desse “detalhe” – que não é pequeno, viu?


A iluminação da sua loja está relacionada a sua proposta.


Por exemplo, se você quer um ambiente intimista ou mais descontraído.


É comprovado que a luz altera o comportamento das pessoas.


Alguns exemplos:


  • Brilho alto chama a atenção das pessoas;

  • As pessoas preferem andar por caminhos iluminados, pois isso traz a sensação de segurança a elas;

  • É preferível iluminação nas paredes, ao invés de luzes provindas diretamente do teto;

  • Iluminação direta é relaxante e deixa as pessoas calmas.


Você também pode escolher pela luz natural, por exemplo.


Proveniente da luz solar, ela traz bem-estar e corte nos gastos – afinal, não custa nada para o seu bolso.


Normas


A Anvisa estabelece normas e regras, de maneira que seja respeitada a higiene, organização, limpeza e a manipulação correta dos alimentos.


Selecionamos alguns itens de regulamento em relação ao projeto arquitetônico:


  • A edificação e as instalações devem ser projetadas de forma a possibilitar um fluxo ordenado e sem cruzamentos em todas as etapas da preparação de alimentos e facilitar as operações de manutenção, limpeza e, quando for o caso, desinfecção. O acesso às instalações deve ser controlado e independente, não comum a outros usos.


  • As instalações físicas como piso, parede e teto devem possuir revestimento liso, impermeável e lavável. Devem ser mantidos íntegros, conservados, livres de rachaduras, trincas, goteiras, vazamentos, infiltrações, bolores, descascamentos, dentre outros e não devem transmitir contaminantes aos alimentos.


  • A iluminação da área de preparação deve proporcionar a visualização de forma que as atividades sejam realizadas sem comprometer a higiene e as características sensoriais dos alimentos. As luminárias localizadas sobre a área de preparação dos alimentos devem ser apropriadas e estar protegidas contraexplosão e quedas acidentais.


  • Os equipamentos e os filtros para climatização devem estar conservados. A limpeza dos componentes do sistema de climatização, a troca de filtros e a manutenção programada e periódica destes equipamentos devem ser registradas e realizadas conforme legislação específica.