10 coisas que aprendi trabalhando com arquitetura para franquias!

Atualizado: 25 de Jul de 2019

Aqui eu divido a minha experiência e conto como a arquitetura para franquias é importante para o mercado moderno.


Sou arquiteta por formação, mas posso dizer que a Arquitetura para franquias me formou como pessoa.


Aprendi muito sobre o mercado, sobre gerenciamento de marca e sobre o branding com essa atividade.


Hoje eu quero conversar honestamente sobre 10 coisas que aprendi trabalhando com arquitetura para franquias.


Você vai tonar que nem tudo são boas notícias, nem todos os dias foram fáceis, nem todas as obras foram vitórias.


Mas aprender é isso, não é mesmo?


O crescimento está justamente na nossa capacidade de superação e adaptação frente aos desafios.


Hoje a Artusi é grande justamente por conta de cada pequena vitória e cada pequena derrota.


Espero que você goste da minha história e possa tirar lições dela para a sua empresa.


1. Sua marca tem vida


Marcas são verdadeiros organismos que ganham vidas e personalidades próprias dentro do mercado.


Essa foi uma das primeiras lições que aprendi ao atuar com a arquitetura para varejo.


Uma marca será pensada, trabalhada, testes serão feitos, números serão colhidos e estratégias serão elaboradas, contudo, após o lançamento, ela simplesmente ganha vida.


Marcas vibrantes são como seres que estão dentro do mercado atuando, fazendo contatos, trocando referências e crescendo.


O bom planejamento coloca a marca no caminho certo, mantém ela nos eixos, mas o dia a dia fará da marca algo vivo.


E os clientes sabem disso!


2. É possível transformar as pessoas com um bom atendimento


Já – e não foram poucas vezes – clientes enfurecidos exigindo isso ou aquilo dos varejistas.


Percebo como a posição de ataque da parte dos clientes está muitas vezes amparada por uma frustração canalizada no produto.


Em outras palavras, o cliente poderia estar insatisfeito com outra situação, mas concentrou essa raiva em um produto com defeito, ou um serviço deficiente.


Quando cenas assim acontecem – e elas acontecem bastante – o melhor modo de agir é manter a calma, passar empatia ao cliente, demonstrar como você compreende a dor dele e dar respostas seguras sobre a resolução dos problemas.


Uma resposta honesta é capaz de apagar incêndios!


3. Os espaços se transformam


“Quero reformar a minha loja, mas não tenho muito espaço.”


“Artusi, eu preciso modernizar, mas tenho pouco espaço.”


Ouço frases assim diariamente, mas a minha terceira lição na arquitetura para varejo é que não existe pouco espaço, todo espaço é o bastante.


Vou repetir: todo espaço é o bastante.


Quando propomos um projeto, fazemos planos e desenvolvemos um layout, nós não estamos pensando em espaços ficcionais e teoricamente perfeitos – grandes espaços que só existem na nossa imaginação – estamos projetando para locais reais.


Cada loja, cada espaço – independentemente do tamanho – é perfeito para a Arquitetura.


O tamanho, a forma, a dificuldade de acesso, a iluminação natural e todas essas características só fazem parte do desafio – e do prazer diário – que é trabalhar criando projetos.


4. As pequenas vitórias importam muito


Aprendi que os números podem ser cruéis conosco.


Todos os projetos são elaborados para que o crescimento seja rápido e a transformação seja completa, contudo, sabemos como o mercado é inconstante e nem sempre tudo funciona como o desejado.


Quando isso acontecer, aprendi sobre ter paciência e observar as pequenas vitórias.


Não tenho dúvida de que as grandes vitórias e o sucesso absolutos virão só depois que nós dermos valor aos pequenos detalhes cotidianos.


Talvez os números não estejam crescendo, talvez o mercado esteja instável...


Mas aí uma cliente, apenas uma, entra na loja e diz “nossa, que lugar lindo!” um sincero e emocionado elogio, ela diz para ela mesma, para ninguém, para todos.


E você ouve e guarda isso como uma pequena vitória.


Porque as pequenas vitórias importam muito!


5. Nada está à toa, todas as coisas têm uma função


A Arquitetura existe para servir à um propósito: tornar os espaços humanos funcionais, esteticamente atraentes e também garantir que eles sejam perduráveis. Tudo na Arquitetura obedece à uma dessas três premissas.


Quando um projeto é pensado, as peças de decoração e os itens utilizados na composição do projeto estão lá por uma razão, criar um projeto arquitetônico melhor.


Muitas pessoas entram em prédios ou visitam obras criadas por gênios da Arquitetura e não compreendem por que as coisas são como são.


Agora você já sabe, a arquitetura precisa ser agradável aos olhos, funcional e perdurável.


Tudo está lá por um motivo, nada é à toa!


6. Perder também ajuda no crescimento


Nem sempre os planos darão certo, e essa é uma verdade que todos nós carregamos.


Mesmo com muito planejamento, mesmo com muita análise, mesmo entregando-se completamente ao projeto, ele poderá falhar.


A verdade é que a vida é uma batalha constante em busca do crescimento, então, algumas vezes precisamos pisar em terreno desconhecido e aí podemos incorrer ao erro.


Mas a verdade também foi dita em muitos livros e pode ser encontrada na biografia dos grandes empreendedores pelo mundo: uma derrota nunca será em vão se você tirar lições dela.


Eu tirei 10 lições das minhas, essas lições me tornaram melhor e se transformaram no meu escritório. Perder também ajuda no crescimento.


7. Dê preferência para pessoas agregadoras (mas não desista de ninguém)


Crescer sem ajuda de ninguém é impossível, a própria forma como o mercado funciona garante que você precise fazer parcerias para conquistar sucesso.


Pense na profissão mais solitária que possa existir, agora imagine, essa pessoa presta um serviço para alguém.


Não existe crescimento sem cooperação e não há cooperação entre partes que não se compreendam ou tenham respeito mútuo.


Claro que você vai encontrar pessoas que não são agregadoras.


Não querem crescer em conjunto, não possuem espirito coletivo. Quando isso acontecer dê o seu melhor.


Exatamente, dê o seu melhor.


Mostre como o crescimento está interligado com a confiança e a conexão entre as pessoas, faça o melhor que você puder.


Se mesmo assim a outra parte for embora, ou a parceria não der certo, você ao menos terá feito o máximo que estava ao seu alcance.


8. Quando tudo parecer realmente difícil será a hora que você estará aprendendo algo


Que a verdade seja dita, nem todo dia de manhã é uma festa.


Alguns desafios da vida são tão incríveis que talvez você – e todas as pessoas do planeta – já tenham sentido aquela vontade de sequer levantar da cama.


Vou ficar aqui mesmo, os tempos não são bons.


Pois aqui está mais uma lição que eu aprendi om arquitetura para franquias.


Nem todos os dias serão bons ou fáceis, e é aqui que está o segredo para tornar-se grande.


Grande é aquele que encarou os maiores desafios, e mesmo sentindo medo ou frio na barriga, não desistiu.


É grande quem enfrentou os números no vermelho, é grande quem entrou em uma reunião com o fornecedor para negociar, mesmo sabendo dos valores atrasados.


Quando tudo ficar realmente difícil, aí estará a oportunidade para ser grande!


9. Invista em tecnologia, sempre


Essa lição não serve apenas para a arquitetura de varejo, mas também deveria ser um exemplo para todos os profissionais, independente do setor, do serviço prestado ou do produto vendido.


A tecnologia deve ser incorporada, jamais ignorada.


Pense agora em uma profissão que entrou em conflito com a tecnologia e venceu.


Ou melhor, pense em alguma marca que consegue crescer e prosperar virando as constas para os últimos lançamentos tecnológicos.


Não dá para acontecer, marcas assim não existem – ou se existem, estão correndo sério risco.


A tecnologia melhora os processos, desenvolve a comunicação e torna rápido o que um dia foi lento. Ignorar os avanços é um retrocesso.


Busque serviços de confiança


Como eu disse ao longo do artigo, encontrei muitos desafios na minha carreira e estou certa de que continuarei encontrando.


Sendo assim, ao aprender sobre como as marcas são vivas, sobre melhorar o atendimento, sobre o sabor das vitórias e das derrotas, descobri com é importante confiar nas pessoas que nós contratamos.


O grande segredo é ter a capacidade de poder apertar a mão de quem você contratou e ter uma relação sincera e profissional.


Afinal, as dificuldades irão aparecer, então é importante que você confie .


A área de arquitetura para franquias é feita por muitas pessoas, preciso contar com fornecedores, colaboradores de diversas áreas, entregadores, para dizer apenas alguns.


Então, o meu segredo é escolher somente escritórios e empresas de confiança, e aconselho você a fazer o mesmo.




Seja como os pássaros que, ao pousarem um instante sobre ramos muito leves, sentem-nos ceder, mas cantam! Eles sabem que possuem asas.

Victor Hugo





Gostou do artigo? Compartilhe nas suas redes sociais.


Ficou com dúvidas ou gostaria de saber mais sobre o assunto e sobre a Artusi Arquitetura? Entre em contato comigo.


Deixo o convite para que você conheça todas as nossas publicações.


Somos apaixonados por arquitetura e para nós é um prazer poder dividir tudo o que sabemos com você.


Também peço que você deixe um comentário, expresse-se, fale sobre as suas experiências.


Agora é a sua vez de falar.


Obrigada por ler o artigo, até a próximo!